Oi, gente! Finalmente terminei a leitura do primeiro livro do Desafio Literário que propus aqui no blog: A Irmã de Ana Bolena. E agora quero contar um pouquinho sobre como foi a leitura e qual será o próximo desafio que enfrentarei.

A Irmã de Ana Bolena foi lançado pela editora Record em 2009 e escrito pela autora inglesa Philippa Gregory, autora que possui vários romances históricos publicados. O livro faz parte da série Tudor (que possui 8 livros publicados), e cronologicamente é o terceiro livro da série (porém o primeiro lançado).
Philippa passou três anos estudando sobre a Inglaterra do século XVI e nesse período se interessou por uma personagem que recebia pouca atenção nos livros: Maria Bolena, a irmã mais nova da rainha Ana. Philippa dedicou o livro à essa personagem esquecida, e nele temos o ponto de vista da outra garota Bolena sobre a ascensão e queda de sua irmã, Ana Bolena.

Aos 14 anos, Maria é escolhida pela própria ambiciosa família para se tornar a nova amante do rei Henrique VIII (mesmo contra sua vontade e mesmo já possuindo um marido), afim de conseguirem favores do monarca. Porém, Ana não consegue ver sua irmã e rival ascender e se tornar a favorita de Henrique, e, num período em que Maria se afasta da corte, Ana consegue seduzir o rei e se tornar sua nova amante (com o consentimento de toda a família tóxica).
Mas Ana não quer apenas ser a favorita do rei, ela almeja a coroa, e fará tudo o que for preciso para arrancar o trono de Catarina de Aragão, então rainha da Inglaterra.

“Esta corte corromperia um santo(...)." (p. 491)
O livro traz uma boa imagem de como seria a corte da era Tudor e acho que a autora fez um ótimo trabalho de pesquisa histórica. Creio que eu enlouqueceria se fosse o rei, com tantas pessoas gananciosas ao meu redor e que dizem me amar só para receberem favores em seguida. E nesse centro de ganância estão os Bolena, pessoas que não se importam de pisar sobre os outros para conseguirem o que querem. Maria é a única integrante da família realmente descente e com um pouco de sensibilidade (George, irmão de Ana e Maria, talvez esteja em segundo lugar). Ela é só uma garota sonhadora usada e abusada pela família.

"Uma ou outra garota Bolena. (...) Uma de nós pode chegar a ser rainha da Inglaterra, e ainda assim continuar não sendo nada para a nossa família." (p. 290)

As irmãs são tratadas como objetos o livro inteiro (principalmente Maria que é extremamente submissa). Ser uma mulher naquela época era realmente aterrorizante, e me senti angustiada várias vezes durante a leitura com a forma que as tratavam. A família, levada pela ganância e pelos desejos de poder, coloca os irmãos Bolena no seu limite, sugando tudo deles até que não sobre quase nada, transformando-os em versões fantasmagóricas de si mesmos. Mas Ana é um exemplo fantástico de determinação.
Ana se tornou uma mulher tão ambiciosa que era capaz de fazer qualquer coisa para tirar seus obstáculos do caminho. Ela parecia possuída em determinados momentos! E até mesmo ela percebia que estava indo longe demais, começando a esconder coisas dos irmãos (seus únicos amigos), por vergonha de si mesma e das atrocidades que fez.
Às vezes não conseguia sentir outra coisa a não ser pena de Ana. Sua obsessão pelo poder a deixou completamente fora de si, mas ela não conseguia dar o braço a torcer, dizendo sempre ás pessoas que era a mulher mais feliz do mundo, quando obviamente era uma das mais miseráveis. Muito mais que Maria, que foi negligenciada depois que Ana tomou seu lugar como favorita.

Apesar de termos o ponto de vista de Maria no livro inteiro, senti que o livro era muito mais sobre Ana que sobre a irmã. Pobre Maria, em segundo lugar até em seu próprio livro.
A narrativa é bem detalhada e extremamente gostosa, fluindo facilmente. Os capítulos são divididos em estações (exemplo: Outono de 1532) e alguns são bem grandes, mas possuem pausas que ajudam na fluidez da leitura. Os personagens são bem construídos e é fácil acreditar em tudo o que está escrito. Infelizmente alguma leitura anterior me deixou bloqueada, mas bastou esperar um pouco, e quando retomei a leitura li a segunda metade do livro em poucos dias.
O livro possui uma adaptação cinematográfica com Natalie Portman, Scarlett Johansson e Eric Bana e foi pelo filme que descobri, anos atrás, a existência dessa série de livros. Na época eu estava fascinada pela indumentária do século XVI e foi isso que me levou ao filme.
A Outra não é um filme ruim, mas foge bastante da história original. É muito mais romântico que o livro, não possuindo o mesmo ar que a publicação. Porém isso foi maravilhoso, pois grande parte dos acontecimentos foram novidade para mim.

Agora que completei a leitura do desafio “Um livro com mais de 500 páginas” (A Irmã de Ana Bolena possui 626 páginas), da categoria “Livros para serem eternizados”, resolvi escolher dessa vez um da categoria “Livros para se apaixonar” e entre os desafios escolhi o “Um livro com mais de um ponto de vista”. Para esse li A Maldição do Vencedor, que possui dois pontos de vista, e assim finalmente li o primeiro livro que veio na caixinha do Turista Literário. Em breve farei um post sobre essa leitura aqui no blog.
E como andam as leituras de vocês?

Espero que tenham um dia fantástico!

Tchau, tchau!!!

Me encontrem também no:

♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Flickr ♥ Skoob ♥ Goodreads 

4 Comentários

  1. Ainda não conhecia essa trilogia, mas achei a história fascinante e empolgante! Amo muito livros que contam histórias dos séculos passados, ainda mais quando o cenário se reflete na Inglaterra <3 Acabou de entrar na minha listinha literária, quero ler ele logo, já estou curiosa pra saber tudo que acontecer!
    ps: fiquei apaixonada pelas fotografias, amei a criatividade de usar essa coroa linda!
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico imensamente feliz que tenha gostado das fotos!!! <3
      Na verdade, é uma série de 8 livros. O oitavo foi lançado esse ano se não me engano. Ele foi o oitavo a ser lançado, mas na ordem cronológica ele seria o segundo, vindo antes do A Irmã de Ana Bolena. Hhahah, meio complicado, eu sei. xD
      Espero que goste da série! Eu também adoro romances de época. Tudo por causa da Philippa Gregory!
      Beijos!

      Excluir
  2. Philippa Gregory está na minha lista de autores a ler há séculos porque eu adoro romances históricos. Por acaso, até estou a precisar de um porque há muito tempo que não leio um livro do género. Agora fiquei com vontade de ir ler esse... Vou dar uma volta pelas livrarias de cá para ver se o encontro. O post ficou lindo ^^

    Beijinhos


    http://buongiornoprincipessa3.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você ama romances históricos então vai amar os livros da Philippa! Foi com ela que minha paixão por romances desse tipo surgiu e floresceu. *U*
      Ele faz parte de uma série, então se quiser começar a ler do zero seria interessante procurar o A Princesa Leal, que é o primeiro livro. <3
      Muito obrigada!!! ^U^
      Beijos!

      Excluir